Livro infantil incentiva o combate à extinção de animais

Bichos Vermelhos - Aliança Comunicação e Cultura
Bichos Vermelhos faz referência à Lista Vermelha, de espécies ameaçadas

Se depender de algumas atitudes cultivadas, há alguns anos, por muitos de nós, humanos, se tornará mais difícil a cada dia encontrar o bicudo, o macaco-prego galego, o tubarão-baleia, o galito, a jaguatirica e o lobo-guará, além de outras espécies em extinção na fauna brasileira. Preocupada com essa realidade, a escritora Lina Rosa Vieira resolveu “se mexer” para reverter a situação. E criou o projeto Bichos Vermelhos. O nome é uma referência à Lista Vermelha, de espécies ameaçadas de extinção, da União Internacional para a Conservação da Natureza. E o primeiro “fruto” do projeto, um livro voltado para o público infantil, já está pronto para ir às ruas. Aguarda apenas definições relativas ao evento de lançamento.

A interação com a natureza é rotina na vida de Lina Rosa desde a infância. Até os 10 anos, morou na Avenida Boa Viagem. “Na época em que havia poucos prédios, tinha mais casas, árvores e brincávamos muito na praia”, lembra. Depois foi viver num sítio, em Aldeia, Camaragibe. “Cresci convivendo com bichos, com a mata. Foi uma dificuldade para me adaptar à área urbana quando casei, aos 21 anos. Hoje gosto de morar ‘na cidade’, mas sempre visito meus pais, que vivem no mesmo lugar”, explica. Tudo isso influenciou para que a escritora, hoje diretora de criação de uma agência de publicidade, direcionasse parte dos projetos da empresa para temas relacionados com a sustentabilidade. Com o Bichos Vermelhos, a ideia, além de alertar as pessoas para a importância da preservação do meio ambiente, é incentivar a leitura. “Também sou ‘vermelha’. Fico com muita vergonha das atitudes humanas em relação à natureza. Percebi, durante muito tempo, que a desinformação em relação ao tema é geral. Então resolvi lançar o livro, para que crianças e também seus pais, avós, tios e amigos possam ter acesso às informações em relação ao meio ambiente onde esses animais estão inseridos. Por isso procurei utilizar uma linguagem simples, porém não infantil, e que estimula a imaginação por meio de perguntas”, detalha a autora. A publicação tem ilustrações de Erick Vasconcelos, engenharia de papel (confecções de bichos) de Rebeca Melo e fotografias de Helder Ferrer.

O lançamento do livro ainda não tem data marcada. A impressão de mil exemplares foi uma doação da Gráfica Santa Marta. O evento não será em livrarias, mas em espaços públicos. A ideia de Lina Rosa é ocupar parques e praças da cidade para que a leitura seja feita pelas crianças. Nessas ocasiões, os livros serão emprestados. E nenhum exemplar será vendido, todos doados. “O lançamento deverá ocorrer em grandes parques das áreas centrais e dos bairros de classe média, assim como nas praças menores, de diversas comunidades. Depois de todos esses eventos, elegeremos espaços de leitura, como bibliotecas de bairros e de escolas, para deixarmos ao menos um exemplar em cada local”, afirma. Para realização do evento, porém, a idealizadora busca patrocinadores, já que pretende contratar profissionais para leitura dos livros com as crianças, assim como espera montar uma estrutura em cada praça ou parque.

Depois do lançamento e distribuição dos exemplares, o objetivo é expandir o projeto para TV – com exibições de vídeos – teatro e até bloco carnavalesco, que pode ser fundado até o Carnaval de 2016 ou mesmo depois. “Gosto também de sair com o bloco fora do período de Carnaval. Afinal nossa ideia é ocupar espaços públicos por meio da arte e promover o diálogo a respeito do tema”, ressalta Lina Rosa.

Por Amanda Tavares, Jornal do Commercio de 06/09/2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *