Experiência do Bonecos do Mundo chega a Cuba

Lina Rosa - diretora de criação e projetos especiais da Aliança Comunicação e Cultura

Depois de Obama e dos Rolling Stones em Havana, você ainda quer saber, só um bocadinho, de mim?

A primeira vez que estive em Cuba foi em 2014. Uma experiência extraordinária. Fui a única curadora brasileira convidada. Uma indicação do brilhante Osvaldo Gabrieli ao maior festival de títeres cubano.

Dois anos depois, o Governo de Cuba, através do diretor do mesmo festival (Titim), Rubén Darío, repetiu o convite. Agora, para apresentar a experiência de socialização e inclusão cultural do nosso Festival Bonecos do Mundo. Ocupação dos espaços públicos, pelo público, através da arte, em todas as capitais brasileiras, por mais de 2,1 milhões de pessoas. Projeto que idealizei com o cuidado e a dedicação de quem ama as marionetes; acredita na excelência de sua importância: do mais tradicional mamulengo (Patrimônio Imaterial Brasileiro) às mais contemporâneas expressões; e compreende que o acesso à cultura é uma questão fundamental dos direitos humanos.

Se Obama, de modo sábio, disse ao povo cubano: “Quero saber de vocês”, o povo cubano, de modo encantador, sempre quis saber dos brasileiros.

Para mim, é uma honra estar aqui. E uma imensa gratidão.

Lina Rosa, nossa Diretora de Criação de Projetos Especiais.

Sobre o Bonecos do Mundo – Desde 2004, o festival Bonecos do Mundo, idealizado pela diretora de Criação da Aliança Comunicação e Cultura, propõe abrir espaços cada vez maiores para o Teatro de Bonecos. Livres do condicionamento das pequenas salas, marionetes de quase 20 países já rodaram por todas as capitais do País. Foram aplaudidas por mais de 2 milhões de pessoas. Recorde mundial de público em teatro de formas animadas. O maior festival de marionetes do Brasil. Maior não por mania de grandeza, mas por ainda serem enormes as necessidades de inclusão cultural. Um intercâmbio intercontinental de linguagens que envolve teatro, cinema, fotografia, literatura, artes plásticas, artesanato e música. Saiba mais sobre o projeto em www.sesibonecos.com.br

Foto: Helder Ferrer.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *