Bonecos do Mundo de Volta à Maceió.

BONECOS DO MUNDO ALIANÇA COMUNICAÇÃO

Projeto idealizado pela diretora de criação da Aliança Comunicação volta à cidade após 8 anos.

Olhos fixados para o horizonte, no encontro de mar verde com céu azul. Sabíamos que estavas à espera, Maceió. Oito anos de imensa saudade. Por todo esse tempo, ouvimos o chamado, como canto de sereia. Ficamos enfeitiçados e claro que queríamos voltar. Como jangada-boneco, que tem velas içadas por linhas e é conduzida pelo vento, chegamos novamente nesta terra de Graciliano e tantas outras poesias. Reencontros bordados à mão. De marionetista. Com nossa singela embarcação carregada por centenas de seres mágicos e sedutores.

Desta vez, antes de aportar aqui, passamos não somente por estados brasileiros fazendo o convite para a aventura. Feito pipa que também é boneco, fomos até os Estados Unidos, a Rússia, o Peru, a Hungria, a Itália e a Coreia, chamamos marionetes de várias cores, jeitos, formas e expressões para entrar conosco nesta barca de sonhos. Mamulengos, maceus, petruskas, puppets e tantos outros nomes que ganham os Bonecos do Mundo, projeto idealizado pela diretora de criação da Aliança Comunicação e Cultura, com o carinho do mundo.

Em plena segunda-feira, 27 de novembro, desembarcamos em areia branca e seguimos todos juntos a caminho do Teatro Deodoro. Em nossa noite de estreia, ocupamos um dos prédios mais lindos em que já entramos na vida. As portas estavam abertas para os bonecos. Mas, principalmente, para vocês: pessoas. Afinal, o que seriam de uns sem os outros? Nesse sentimento de trocas e alegria, estamos até agora em estado suspenso, por fios de suspiros. Impossível esquecer as expressões nos olhos do público ao se deparar com a pequena mostra do que será nossa exposição em homenagem ao Patrimônio Imaterial Brasileiro. Teve mamulengo tocado, beijado e amado por toda gente, com direito a retratos, selfies e tudo o mais. É bonito vivenciar reconhecimento e pertencimento, não é?

E como não deixar ecoar aos ouvidos os aplausos calorosos e assovios afinados para celebrar a cultura e seu poder de transformação?

O Teatro Deodoro, em 112 anos de existência, viu boneco-cantor, boneco-trapezista, boneco-equilibrista, boneco-dragão, boneco-cachorro. E recebeu muita gente-feliz, gente-sonhadora, gente-especial, gente-igual, gente-diferente, gente que só quer ser gente.

A brincadeira começou agora. Temos uma semana inteira, todinha, só nossa, pela frente, Maceió. Antes de aportarmos no Recife, é aqui que vamos despejar nossos sonhos. Sim, porque nossa história é um caso de amor.

Fotografia: Beto Figueiroa.

Para saber mais sobre nossas ideias, acesse:

http://aliancacom.com.br/ideias/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *